Já tenho a tradução feita por tradutor juramentado. E agora?

Pergunta frequente: Tenho uma tradução juramentada no Brasil e preciso que ela seja tradução NAATI. Como o documento já está traduzido, é só copiar, colar e colocar seu carimbo. Faz pra mim?

Dá pra fazer para o cliente? Dá. Mas tem um custo, ao contrário do que geralmente nos é solicitado.

Os tradutores juramentados no Brasil, em geral, seguem ortografia e padrão linguístico dos EUA. Usam outro formato de data, outra ortografia, e também terminologia diferente da usada na Austrália.

Cada tradutora também tem seu próprio estilo tradutório. Isso quer dizer que duas tradutoras que traduzam o mesmo texto possivelmente produzirão duas traduções diferentes (claro, a terminologia específica não muda, mas alguns aspectos da tradução podem mudar).

Por ser certificada – e isso quer dizer que eu carimbo e assino a tradução -, eu preciso ter certeza de que a tradução corresponda ao meu estilo e ao meu nível de qualidade, e também aos padrões aceitos na Austrália. Então não é só uma questão de copiar e colar.

Ah, mas então dá pra revisar o que já foi feito pelo tradutor juramentado no Brasil… Muitas vezes não. Isso porque as diferenças podem ser tão grandes que é mais ágil traduzir do zero (aí entra experiência!). E a tradução final sai com melhor qualidade.

Qual a melhor opção então?

Primeiro, se o destino for Austrália, já faça a tradução diretamente com uma tradutora NAATI.

Se já tiver uma tradução juramentada feita por tradutora pública no Brasil, peça orçamento à tradutora NAATI para refazer a tradução, ou seja, não peça ou espere o serviço gratuitamente 😉

Ah, e lembre de valorizar o trabalho das tradutoras.