Turismo: memorable

Há dois pontos a lembrar sobre tradução na área de turismo e hotelaria:

  1. Textos de turismo e hotelaria usam muitos sinônimos, principalmente em português. Por serem textos promocionais, usam e abusam de adjetivos e outros elementos para atrair o leitor.
  2. Algumas traduções de termos são “criadas” pelo próprio staff do hotel internamente e acabam se espalhando e sendo usadas na área em geral.

Dados os dois pontos acima, uma participante de uma das palestras que dei, comentou, após a apresentação, que na rede em que ela trabalhava todas as experiências eram “memoráveis”. Isso porque um supervisor ou gerente fora fazer um treinamento no exterior, durante o qual foi reforçado que os hóspedes deveriam ter “memorable experiences” e curtir “memorable meals”, etc. Então, a partir de sua volta ao hotel, só se usava “memorável”. Tudo era “memorável”.

Ótima observação da nossa colega. Vale lembrar que “memorável” é válido (= digno de ser recordado e conservado na memória). No entanto, lembremos também que no texto escrito conseguimos diversificar e podemos usar “inesquecível” e até “notável” para “memorable”, dependendo do contexto. Mesmo que “inesquecível” não seja um equivalente direto (mas uma palavra relacionada), o caráter criativo e promocional das traduções desses textos nos permite brincar com a variedade de sinônimos. Assim o façamos, pois.

O que é (ou não é) um tradutor NAATI?

O tradutor certificado pela NAATI é qualificado para traduzir oficialmente na Austrália. Parece óbvio, mas isso não fica claro para muitas pessoas. Recebo e-mails de clientes pedindo para eu autenticar cópias (como JPJustice of the Peace) e até mesmo perguntando se redijo procurações.

Este post, então, esclarece que, como tradutora NAATI, sou apenas tradutora (e revisora, mas não JP nem tabeliã). Procurações devem ser feitas em cartório ou, no caso de o cidadão brasileiro residir na Austrália (ou outro país), a procuração deve ser feita via processo consular.

Estes sites trazem informações sobre como fazer uma procuração estando na Austrália: Consulado Geral do Brasil em Sydney e Site Brazil in Australia sobre procuração pública e particular.

O que faço, como tradutora NAATI, é traduzir a procuração ou o documento autenticado, então, primeiro, você deve ter os documentos prontos e depois me enviar para que eu prepare a tradução oficial.

🙂

Traduções NAATI – processo e prova

Vira e mexe recebo e-mails de brasileiros que moram na Austrália que querem se tornar tradutores certificados pela NAATI e me perguntam quais são os requisitos, como é o processo e se a prova é difícil.

Pois este post destina-se a falar sobre essas questões.

– Quais são os requisitos e como é o processo para se tornar um tradutor da NAATI:

É possível encontrar todas as informações sobre a prova de certificação no site da NAATI aqui, que inclusive inclui os requisitos necessários. Você também pode obter mais informações ligando ou visitando o escritório da NAATI. Antes de eu prestar a prova, fui ao escritório de Sydney para me certificar de que tinha mesmo todos os requisitos antes de me candidatar.

– Se a prova é difícil:

Para mim, é complicado dizer se a prova é difícil. Eu já era tradutora há 4 anos quando prestei a prova de credenciamento*, por isso eu já tinha experiência com tradução de textos e já entendia sobre a ética do tradutor, então não tive problemas. No entanto, quando prestei a prova para credenciamento* de português para inglês (prestei as duas direções separadamente), encontrei uma candidata no local da prova que disse que estava prestando pela terceira vez; ela tinha sido reprovada nas outras duas vezes. Se você quer realmente fazer a prova ou se está pensando em prestar, sugiro que compre o kit de prática para entender como é o formato da prova, ter acesso a exemplos de textos a serem traduzidos e perguntas da prova oficial e veja como se sai.

Nota: lembre-se que tradução é uma profissão, então, é claro que a prova desconta erros de ortografia, pontuação, por má interpretação de texto, tradução inadequada, terminologia inadequada, etc. (já recebi perguntas sobre isso também!)

Boa sorte! 🙂

* Em 2009/2010, o nome da qualificação era credenciamento, não certificação.