11 dicas pra quem trabalha de casa

No começo do mês, participei de uma “live” no Instagram com a querida amiga portuguesa Joana Feiteira, que, como muitos, começou a trabalhar de casa por conta da pandemia. A Joana comentou em um de seus stories sobre a dificuldade que estava tendo de trabalhar de casa. Ela não é da área de tradução, mas como eu trabalho no esquema home office há muitos anos, achamos que um bate-papo sobre o assunto, com dicas para quem está vivendo isso pela primeira vez, poderia ser uma boa.

Segue um resumo da nossa conversa (a Joana é a autora desse resumo, o qual ela publicou no Instagram, com adaptações minhas para o português brasileiro), que poderá te ajudar, seja você tradutor começando sua carreira autônoma ou um cliente que também teve que fazer a transição para o home office:

  1. Não trabalhar de pijama: coloque uma roupa confortável, mas apropriada para o trabalho; será mais fácil para a mente fazer essa separação.
  2. Rotina matinal: ter uma rotina matinal é ainda mais importante quando trabalhamos de casa. Tempo para nós, para tomar café da manhã, para exercício ou meditar, são uma enorme ajuda para nos preparmos para o dia de trabalho. Não cometa o erro de saltar da cama para o computador.
  3. Exercício físico e meditação: duas práticas saudáveis, tanto para a mente como para o corpo. Encontre tempo ao longo do dia para cuidar de você.
  4. Timer: super útil, tanto para “forçar” a trabalhar mais um pouco quando ainda não trabalhou assim tanto, mas também para dizer quando tirar uma pausa ou parar.
  5. Foco e disciplina: muitas vezes chegamos ao fim do dia cansados, mas com a sensação de que não produzimos. Isso deve-se ao fato de não estarmos suficientemente focados. Lembre-se de eliminar distrações ao seu redor, como televisão, celular ou redes sociais.
  6. Planejamento diário: programe o dia e as refeições no dia anterior. Isso ajudará a ser mais produtivo e não perder mais tempo do que o necessário na preparação de refeições.
  7. Separar o escritório do resto da casa: se não tiver essa possibilidade ou, como a Joana, morar em uma kitchenette, pode fazer essa separação com um biombo, lençol, canga ou toalha.
  8. Técnica Pomodoro: trabalhar sem pausas durante 25 minutos e descansar 2 ou 3 minutos (pesquise no Google para mais informações sobre a técnica e aplicativos que ajudam nesse controle).
  9. Horário de trabalho: não se esqueça de definir o horário de trabalho e saber quando parar. Fale com a sua família e amigos, e mantenha a vida social, ainda que virtualmente.
  10. Usar post-it: use post-it com mensagens para lembrar de coisas simples, mas importantes, como sorrir ou telefornar a alguém.
  11. Gentileza: seja gentil consigo mesmo e não se cobre se não seguir o plano.

Obrigada, Joana!

A Joana é portuguesa e mora em Sydney, Austrália, é especialista em comunicação,  contadora de histórias e apaixonada por viagens. Perfil no Instagram: @joana_feiteira

Vamos falar sobre mídias sociais…

Talvez vocês não saibam, mas eu fiz um curso de marketing para mídias sociais, finalizado no mês passado. Devem até perceber que estou um pouco mais ativa nas diferentes plataformas e até criei uma conta no Instagram pro meu negócio de tradução, coisa que eu estava resistindo…

Mas eu sei, para quem fez um curso específico de marketing para mídias sociais, eu não sigo muito as regras do jogo. Digo, em cursos a gente sempre aprende o beabá e, se quisermos, podemos ficar só com o beabá pra ter sucesso. No entanto eu tento me conectar com aquilo que eu acho certo para o meu perfil. No curso, tivemos muitos estudos de caso de contas e perfis com milhões de seguidores e ouvimos sobre várias “fórmulas” de sucesso (do tipo, como aumentar o número de seguidores em questão de dias…). Eu tive a sorte e o azar de poder basear o curso e os trabalhos no meu próprio business de tradução. Sorte, porque pude, aos poucos, ir ajustando minhas mídias sociais e entendendo o conteúdo que quero compartilhar em cada plataforma. Azar porque, por ser autônoma, em um negócio de microporte, muitas dessas “fórmulas milagrosas” de sucesso para grandes negócios tiveram que ser dimensionadas e ajustadas ao meu caso e ao meu perfil especializado, com expertise, que trabalha com nicho de mercado e que gosta de se conectar com públicos diferentes.

Uma das professoras do curso me ajudou a definir com mais clareza o perfil de cada uma das minhas plataformas, assim consigo planejar melhor o conteúdo e atingir diferentes públicos. Então é isso que eu quero descrever aqui e convidá-los para me seguir nas outras mídias sociais, pois, no geral, cada uma tem um perfil diferente, com conteúdo diferente.

  • Este blog: em geral, os posts são mais voltados para colegas tradutores. Um espaço onde posso compartilhar um pouco do que sei e um pouco de como trabalho, dando dicas e contando da minha vida profissional. Há também informações sobre as traduções oficiais com as quais trabalho na Austrália como tradutora certificada pela NAATI.
  • Facebook: conteúdo bilíngue diverso sobre tradução e linguística, na maioria das vezes em uma combinação de conteúdo compartilhado (produzido por terceiros) com uma nota minha sobre a minha própria experiência naquele assunto.
  • Instagram: conta voltada para a comunidade brasileira em Adelaide e na Austrália, sobre as traduções NAATI. Como dito acima, essa conta é nova, então posso moldar os posts e o conteúdo com o tempo dependendo dos seguidores.
  • LinkedIn: em geral, conteúdo adaptado dos posts do Facebook (na maioria das vezes em inglês).

E, como sempre, estou aberta a dúvidas e perguntas, e tópicos que vocês queiram que sejam abordados em algumas das plataformas acima 🙂

Até já com mais conteúdo!